Cinomose

cinomoseUma doença muito grave que precisa ser identificada a tempo para poder ser tratada e se obter sucesso no tratamento. Fique de olho nos sintomas!
 

O que é cinomose?

 
A cinomose é uma doença em cachorros:
 
- sistêmica, ou seja, pode atingir vários órgãos;
- altamente contagiosa;
- causada por um vírus;
- frequentemente leva à morte cachorros filhotes e adultos .
 
Lembre-se de que um cachorro doente pode manifestar apenas sinais digestivos ou respiratórios.
 
 

Como se pega cinomose?

 
Qualquer cachorro, em qualquer idade, pode ser contaminado com cinomose de diferentes formas.
 
O vírus é transmitido entre um animal doente e outro susceptível. Alguns animais doentes podem estar assintomáticos (ou seja, estarem com a doença, mas não apresentarem seus sintomas) e passar a doença para outro sadio por meio de secreções (nasais, fezes etc).
 
Uma forma comum de contaminação ocorre em canis, onde os animais frequentam os mesmos locais e animais doentes podem ter contato com outros saudáveis ainda não vacinados. É muito importante isolar animais doentes para tratamento, ou ainda ter o cuidado de isolar animais que se tenha desconfiança de que possam estar incubando a doença e, mesmo ainda sem sintomas, servir de fonte de infecção para outros cachorros.
 
 

Quais os principais sintomas da cinomose?

 
O período de incubação do vírus (que é o tempo entre a entrada do vírus no corpo e a manifestação dos sintomas da doença) pode ser de três a seis dias, podendo se estender em até 15 dias. Após esse período, pode haver os seguintes sintomas:
• febre
• corrimento nasal e nos olhos
• perda de apetite
• diarreia e vômito
• tosse, rouquidão, e espirros
• apatia
• mioclonias (“tiques nervosos”)
• convulsões
• falta de coordenação
• paralisias
 
Os primeiros sintomas são geralmente gastrointestinais (diarreias, vômitos, falta de apetite). Depois, o sistema respiratório e ocular é comprometido (com tosses, secreções nasais e oculares), e, por fim, a doença atinge o sistema nervoso do cão, com mioclonias (tiques nervosos constantes em membros ou cabeça), alteração de comportamento, convulsões, paralisias, podendo evoluir até a morte.
 
Alguns animais podem desenvolver um tipo de sintoma de cada vez, como também podem apresentar todos juntos. Há animais que morrem apresentando só uma das fases da doença, ou sobrevivem desenvolvendo todas as etapas.
 
 

Como prevenir a cinomose?

 
O melhor remédio é a prevenção da doença através da vacinação anual. Infelizmente, no Brasil, apenas um a cada cinco cães recebem a vacina contra a cinomose com regularidade. Como não há vacinação pública como a antirrábica, por exemplo, os donos precisam levar seu animal ao veterinário, e muitas pessoas ainda não sabem disso.
 
Portanto, não deixe de vacinar o seu animal uma vez por ano contra a cinomose, e evite assim o sofrimento do seu cão e de outros com os quais ele tenha contato. Mas atenção: os veterinários desaconselham a vacinação em animais que já estão infectados com a cinomose. A vacina não é capaz de deter a doença e pode piorar o quadro, já que exigirá forças de um sistema imunológico que já está comprometido pela doença.
 
 

Como é o tratamento da cinomose?

 
O tratamento, após diagnóstico de cinomose confirmado por exame de laboratório, pode ser bem difícil.
 
O cachorro doente deve ser isolado para receber tratamento de apoio e antibióticos para auxiliar no combate a infecções secundárias. Por se tratar de um vírus, não há um medicamento específico para o tratamento da cinomose, o que torna sua cura mais difícil.
 
Filhotes não têm bom prognóstico de recuperação, com taxa de mortalidade bem alta. O tratamento de apoio é feito com a reposição de líquidos perdidos durante a doença, além de oferecer um ambiente limpo e com temperatura agradável.
Se a cinomose evoluir para os estágios finais sem que o cachorro receba tratamento, pode haver danos neurológicos difíceis de tratar, sendo que o veterinário pode sugerir o sacrifício do animal.
 
Lembre-se de que cachorros que estejam em tratamento podem continuar a espalhar o vírus por várias semanas, mesmo depois do desaparecimento dos sintomas.
 
O cão com cinomose precisa também do apoio do dono para se recuperar dessa grave doença.
 
 

Desinfecção do ambiente contaminado

 
O vírus da cinomose não é muito resistente aos desinfetantes comuns. Fora do hospedeiro, o vírus morre facilmente e, por isso, é fácil fazer o controle ambiental da disseminação da doença.
 
O vírus é eliminado pelas secreções nasais, fezes, urina, saliva por um período de até 90 dias. Comedouros, bebedouros, utensílios, caminhas, travesseiros, caixa de transporte, tapetes, coleiras, ou seja, todos os objetos que foram contaminados pelas secreções dos animais doentes podem conter o vírus, permitindo a sua transmissão aos animais susceptíveis de uma forma indireta.
 
Apesar da alta taxa de transmissibilidade do vírus, este é sensível a diversos desinfetantes utilizados rotineiramente na higiene doméstica, como a amônia quartenária (Herbalvet) ou hipoclorito de sódio (Água sanitária) presente em vários produtos comerciais.
 
 
Fontes de consulta:

http://www.cinomose.com.br

http://www.wspabrasil.org/wspaswork/Caesegatos/controlededoencas/cinomose

http://blogs.diariodonordeste.com.br/bemestarpet/saude-animal/dr-vet-prevencao-a-cinomose