Moradores do Morin se mobilizam para proteger cães de envenenamento

Terça, 02 Julho de 2013

Fonte: http://www.e-tribuna.com.br/

moradoresO envenenamento de três cães de rua no bairro Morin deixou os moradores do bairro apreensivos. Na última semana, um cão conhecido como Lourão foi encontrado morto por cuidadores de animais, que resgataram outros dois cachorros e os levaram para a clínica veterinária do bairro. O animal passou por uma necropsia, que comprovou a causa da morte como envenenamento. Agora, os integrantes do Projeto Pró Patinhas pedem que as pessoas denunciem os maus-tratos e ajudem os cães que foram resgatados.

“Os três cães andavam juntos, eram parceiros. O Lourão tinha até uma casinha que ficava no ponto do táxi. Ele era alimentado pelos motoristas. Um cão super dócil. A pessoa que tentou matar os três conseguiu, inclusive, arrancar a casinha do Lourão, que era chumbada no chão, e jogou no rio. O cachorro também foi parar no rio. Depois de uma denúncia feita por uma moradora, a protetora Cecília conseguiu resgatar os cães e um deles tomou um medicamento e foi salvo, infelizmente, o Lourão não teve a mesma sorte”, disse Andrea Santos, integrante do projeto.

Segundo Andrea, a necropsia foi realizada graças à ajuda financeira dos moradores. “O veterinário constatou que o cão estava com hemorragia nos olhos, boca e nariz. O laudo da necropsia apontou envenenamento, mas ainda não sabemos que tipo de substância foi utilizada. O exame que faz essa detecção custa R$750. Até pensamos em fazer uma vaquinha para custear esse exame, mas, como não temos provas para acusar o suspeito, não adiantaria. Por isso pedimos para que as pessoas que tenham qualquer tipo de informação, foto ou vídeo sobre esse caso de maus-tratos denuncie e nos ajude a salvar mais vidas”.

O Projeto Pró Patinhas tem como lema Educação e Castração. “Acreditamos que a edução é a chave para melhorar a vida de todos na Terra, inclusive nos animais. Por isso, nós resgatamos os cachorros, castramos e fazemos feiras de adoção para que eles sejam recebidos por uma família. No próximo dia 6 de julho, vamos promover um projeto no Centro de Cultura Raul de Leoni, onde exibiremos um filme sobre abandono para crianças da comunidade do Duques. Nossa intenção é mostrar a eles os cuidados que temos que ter com os animais”, afirmou Andrea. Ainda de acordo com Andrea, a cada cadela castrada, menos sete cachorrinhos são abandonados na rua. Além disso, a intervenção previne doenças.

O projeto precisa de padrinhos que possam colaborar com o custeio dos tratamentos dos cachorros e da hospedagens, já que o projeto não possui local fixo. Quem quiser ajudar o projeto pode entrar em contato através do email: projetopropatinhas@gmail.com, pela página no facebook ou pelo telefone 8132-0900.

A próxima feira de adoção vai ocorrer no dia 13 de julho, no PetAmado, na Mosela. Neste dia, cerca de 15 filhotes e cinco cães de porte médio ficarão expostos para adoção.

Vale destacar que maltratar animais é crime previsto no Artigo 32 da Lei Federal dos Crimes Ambientais 9.605/98, que prevê pena de reclusão de 3 meses a 1 ano. Ainda: § 1º – Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. § 2º – A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

FERNANDA TAVARES

Redação Tribuna